Crise Convulsiva


A crise convulsiva resulta de um distúrbio generalizado da função cerebral. A forma mais comum de ataque inicia com a perda da consciência e controle motor, abalos tônicos e/ou clônicos de todas as extremidades, quando o padrão de recorrência convulsiva existe se chama epilepsia.
As convulsões podem estar associadas com doenças sistêmicas ou cerebrais como resultado de um distúrbio generalizado ou focal da função cortical. 

 Estes distúrbios seriam:


DISTURBIOS SISTÊMICOS

DISTURBIOS CEREBRAIS
DISTURBIOS OCASIONADOS POR TRAUMA
Hiperpirexia (aumento da temperatura corporal)
Agentes neurotóxicos ou convulsões (cânfona, álcool, cocaína, e outros venenos)
Fratura dos ossos do crânio
Distúrbios metabólicos (hipoglicemia, etc.)
Infecções do SNC (meningite, AIDS, raiva, malária, etc...)
Trauma de parto.
Edema cerebral (eclampsia, encefalopatia hipertensiva, septicemia, etc...)
Hipoxia cerebral (PCR, intoxicação por CO, anestesia,...)
Concusao cerebral (Golpe da massa encefálica contra a calota craniana)
Anafilaxia (resposta alérgica exacerbada)
Lesões expansivas (tumores, hemorragia intracraniana,...)
Contusão cerebral (golpe direto na calota craniana)
Anóxia (falta de oxigênio)
Defeitos cerebrais congênitos
Afundamento da calota craniana

Infarto e hemorragia cerebral (derrame)
Trauma na coluna, ruptura da medula espinhal
Doença de origem familiar de causa idiopática, isto é não foi encontrada uma causa evidente.


            Nos casos acima as crises podem ser transitória e não apresentam recorrência uma vez que a causa tenha sido identificada ou eliminada. Quando as crises ocorrem por anos ou indefinidamente sendo idiopática (origem familiar) ou por lesões ou escaras permanente no SNC, chamadas de Epilepsia.

Podemos classificar as crises convulsivas em:

- Generalizadas:

Pequeno mal ou crises de ausência. Breves, ocorrem na quietude, retorna às atividades assim cessadas a crise.
Grande mal ou tônico clônicas. Possuem aura, pode ocorrer incontinência fecal e urinária, paciente literalmente cai rigidamente no chão. Pode ocorrer apnéia e cianose. Após passa por uma fase de sono.
Mioclônicas pequena convulsão, não há perda de consciência detectável.
Convulsões febris da infância 6 meses a 6 anos de idade, tipo grande mal, ocorre em decorrência de hipertermia.

- Parciais:
Parciais simples ou focal, local. Sem perda da consciência. Jacksonianas – mãos ou pés.
Parciais complexas psicomotoras, variedade de padrões, perda da consciência de 1 a 2 minutos, segue-se de convulsões metal por 1 a 2 minutos.
Parciais complexas de origem temporal não são caracterizadas por comportamento agressivos não provocados. Se restringirmos seus movimentos pode atacar a pessoa. Alta associação cm distúrbios psiquiátricos.

Como se agir em caso de convulsões

“NUNCA INSERIR DEDOS NA CAVIDADE ORAL, É PERIGOSO E DESNECESSÁRIO”.

- Desabotoar a roupa;
- Decúbito lateral para prevenir a aspiração;
- Se possível almofadas para apoiar a cabeça;
- Observar e retirar objetos que possam lesionar a vitima;
- Não restringir os movimentos;
- A vitima apresenta perda de consciência ao terminarem as convulsões por um breve período. É chamado estado pós-convulsivo.

A presença de quadro convulsivo, mesmo não sabendo a causa, deve chamar auxilio especializado e ser levado ao hospital. A vitima pode apresentar mal-convulsivo, isto é uma crise que dura mais de 30 minutos ou uma crise seguida da outra em curto intervalo que provocam graves seqüelas ou morte da vitima.  



Publicado por: Lucas Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário